terça-feira, 23 de outubro de 2012

Antipsiquiatria e Cientologia: uma estranha relação



Alguns de vocês já devem ter assistido - e até compartilhado nas redes sociais - documentários como o "Marketing da loucura" ou o "Psiquiatria: uma indústria da morte" ou então o "DSM: a farsa mais mortífera da Psiquiatria", mas imagino que poucos saibam quem os produz e com que interesses. Apesar de tratarem de questões pertinentes, como a relação dos psiquiatras com a indústria farmacêutica, a falta de marcadores biológicos na Psiquiatria e os efeitos colaterais das medicações psicotrópicas, sempre me incomodei com o tom dramático, beirando o apocalíptico, destes videos. Resolvi pesquisar à respeito e acabei caindo no site da Comissão dos Cidadãos para os Direitos Humanos (CCHR), que é a entidade que produziu todos estes documentários, além de diversos outros materiais. Na seção "O que é o CCHR?" está escrito que a Comissão "é um serviço de vigilância da saúde mental sem fins lucrativos, responsável por ajudar a aprovar mais de 150 leis que protegem os indivíduos de práticas abusivas ou coercivas". Até aí nada de mais. O que me chamou a atenção realmente foi o seguinte trecho, no qual é explicada a origem da entidade: 

"A CCHR foi cofundada em 1969 pela Igreja da Scientology e o Professor Emérito de Psiquiatria, Dr. Thomas Szasz, numa altura em que os pacientes estavam a ser armazenados em instituições e despojados de todos os direitos constitucionais, civis e humanos".

Peraí! Deixa eu ver se entendi direito: a CCHR foi criada então pelo famoso - e recém-falecido - (anti)psiquiatra Thomas Szasz, autor de livros clássicos como "O mito da doença mental" e "A fabricação da Loucura", juntamente com... a Igreja da Cientologia. É isso mesmo? Sim, caro leitor. Para quem não sabe, a Igreja da Cientologia é aquela bizarra entidade religiosa fundada pelo escritor de ficção científica L. Ron Hubbard e cujos adeptos mais famosos são o Tom Cruise e o John Travolta. Ontem de madrugada passou no GNT um documentário francês, chamado "Cientologia - A verdade sobre essa mentira" (disponível aqui), que expõe inúmeros podres desta seita tenebrosa. Não vou me deter aqui aos pormenores da Cientologia. Recomendo, àqueles que queiram saber mais, que assistam este documentário e também o sensacional episódio do South Park sobre a Cientologia (disponível legendado aqui). E fiquem atentos: está previsto para estrear no Brasil em Janeiro de 2013 o filme "The master" do diretor Paul Thomas Anderson, cujo enredo é inspirado na vida de L. Ron Hubbard. Veja o trailer abaixo:



A questão que me interessa neste post é a seguinte: o que pretende a Cientologia ao criticar a Psiquiatria? Foi com esta pergunta na cabeça que me deparei com o blog "Cientologia: a perigosa seita da ganância e do poder". Nele encontrei a resposta que procurava - especificamente aqui. Segundo tal blog, na década de 50, após a "revelação" da Dianética como o método terapêutico da Cientologia, L. Ron Hubbard sofreu duras críticas tanto da Associação Americana de Psiquiatria (APA) quanto da Associação Nacional de Saúde Mental (NMHA). Isto porque Hubbard pregava que todas as doenças são psicossomáticas e curáveis somente pelo método da Dianética, que inclui a ingestão de doses cavalares de vitaminas, sessões diárias de saunas e massagens. Qualquer medicação deveria ser completa e radicalmente abolida. Segundo o autor do blog, em função desta filosofia, "são inúmeros os casos noticiados de pessoas que morrem por falta de tratamento médico ou medicamentos em razão da proibição determinada pela Cientologia a seus fiéis". Este parece ter sido o caso do filho do ator John Travolta, cuja morte poderia ter sido evitada se ele tivesse tomado alguns medicamentos (saiba mais aqui). Desde a década de 50, portanto, a cientologia permanece em guerra contra a Medicina e, em especial, contra a Psiquiatria. De acordo com o blog, "para emprestar um ar de oficialidade à sua empreitada, a Cientologia, de tempos em tempos, cria 'organizações', 'comissões' e outras instituições com o fim de combater seu inimigo, a psiquiatria e outras concorrentes da área da saúde mental". A CCHR é fruto deste combate. Provavelmente a aproximação de Szasz com a Cientologia (ou será que foi o contrário?) ocorreu em função da existência deste inimigo em comum: a Psiquiatria ou, pelo menos, as práticas psiquiátricas usuais.

Segundo o site oficial da Cientologia, na seção de Perguntas e respostas (veja aqui), a igreja se opõe à Psiquiatria em função dos abusos históricos cometidos contra os doentes mentais. Segundo o site "ao longo da sua longa e trágica história a psiquiatria tem inventado numerosas 'curas' que finalmente provaram ser extremamente destrutivas. Nos séculos XVIII e XIX, pacientes mentalmente perturbados foram literalmente submetidos a aparelhos de tortura. Em seguida, eram banhos de gelo e choque de insulina. Em seguida, a terapia eletroconvulsiva que causava quebra de dentes e ossos, bem como perda de memória e de regressão a estados comatosos. Em seguida, foi a lobotomia pré-frontal com um picador de gelo através da órbita ocular. Hoje é com drogas". Segundo eles, as doenças mentais são farsas "elaboradas e mortais" e os tratamentos psiquiátricos não tem "nenhuma base na ciência e são brutais ao extremo". O curioso é que a cientologia, mesmo não sendo uma ciência - embora acredite ser - critica a ausência de cientificidade da Psiquiatria. Paradoxal, não? Isto me lembra um video, que comentei anos atrás, no qual uma organização religiosa critica a falta de embasamento científico das psicoterapias - como se as religiões o tivessem... Com relação aos tratamentos psiquiátricos eu discordo da cientologia. Na minha visão as medicações representaram, e ainda representam, um enorme avanço em relação aos tratamentos psiquiátricos anteriores. Se há um exagero na prescrição dos medicamentos é outra história.

Outra crítica da Cientologia à Psiquiatria é que ela rotula as pessoas "por atacado". Para eles, a Psiquiatria "é um negócio surpreendentemente lucrativo. Mas enquanto os psiquiatras fazem dinheiro fácil aos bilhões, a sociedade recebe uma nova geração de toxicodependentes ao longo da vida e, portanto, ainda mais consumidores para drogas psicotrópicas". Concordo que a Psiquiatria e a indústria farmacêutica obtém lucros imensos. Mas a cientologia não é, de forma alguma, uma associação sem fins lucrativos. Pelo contrário! Isto fica claro no documentário, que apresenta vários casos de pessoas que não conseguiam abandonar a igreja da cientologia em função das enormes dívidas contraídas com a seita no decorrer dos anos. Isto para não falar das luxuosas igrejas espalhadas por todo o mundo.

O que toda esta história mostra, na minha opinião, é que não é possível dividir o mundo entre heróis e vilões. Thomas Szasz, que para muitas pessoas e grupos é considerado um ícone de um certo pensamento crítico com relação à Psiquiatria, se aproximou de uma estranha seita com intenções um tanto obtusas. Da próxima vez que você for assistir a um documentário da CCHR - e antes de sair por aí compartilhando a "boa nova" - lembre-se desta estranha parceria e se pergunte: quais as intenções dos realizadores deste vídeo? Porque, ao contrário do dito popular, nem sempre o inimigo do nosso inimigo é nosso amigo.


Thomas Szasz ao lado de Tom Cruise
Comentários
9 Comentários

9 comentários:

Adejane disse...

concordo que os psiquiatras se unem aos farmacêuticos pra patologizar um grande número de pessoas, eu mesma já fui vítima de um deles, mas é importante deixar claro, que não são todos os que agem assim, ainda temos profissionais que honram suas profissões. no mais, tô contigo!

memórias de um esquizofrênico disse...

Me desculpe caro autor do blog, mas sinto que profissionais da área da saúde mental se acham intocáveis, não aceitam críticas. Outro dia fui ridicularizado em um grupo do facebook formado em sua maioria, de psicólogos. Fui criticar o fato da psicóloga no caso do rapaz que efetuou disparos em São Paulo quando ele iria ser interditado. Critiquei a psicóloga pelo fato dela ter deixado o rapaz chegar a aquela situação, ficando dois meses trancado dentro de casa, e provavelmente sem medicação, pela conversa dele, pois o mesmo dizia que iria ser abduzido por seres extraterrestres e que estava chipado. A psicóloga provavelmente sabia do arsenal de armas que ele possuia, e, mesmo assim, o deixou ficar sem os medicamentos. Então o pessoal do grupo começou a me ridicularizar, dizendo que eu não poderia comentar o caso, pois não era psicólogo e nem advogado. Sou apenas um portador de esquizofrenia, e nem precisa ser um profissional da área de saúde mental para perceber que o rapaz não estava nada bem, e a psicóloga foi, no mínimo, omissa no caso. O mesmo ocorre quando o assunto é a anti psiquiatria. Se existe uma banda podre em todos os setores da sociedade(religião, politica,etc), por que não haveria maus profissionais na área de saúde mental? Claro que existem os profissionais bem intencionados, fui atendido por muitos bons psiquiatras, mas sinto que a maior parte não aceita uma crítica de um colega de profissão, pois fui até humilhado em um grupo no facebook, simplesmente por questionar essa psicóloga.

Felipe Lisboa disse...

Prezado Julio, maus profissionais e profissionais equivocados (e mesmo bom profissionais que eventualmente se equivocam) existem em todas as profissões. É importante não generalizar. Um abraço

Steve Beck disse...

Não importa que voce não seja psicologo, voce tem sim direito a manifestar a sua opinião. Apenas não entendi qual a situação que voce coloca, pois uma coisa e o sujeito dizer que seria "abduzido por seres extraterrestres e estava chipado", outra coisa completamente diferente é a mãe dele dizer isso. São coisas distintas! Como podemos saber o que o rapaz disse de fato? Sinceremente eu não confio em nada na mãe dele. Ela me pareceu extremamente castradora e super protetora. Tendo o verdadeiro arsenal que tinha, se ele representasse qualquer perigo a sociedade, ou a ele mesmo, então ele já teria utilizado o armamento antes, mas ele utilizou apenas em legitima defesa, uma vez que a ordem judicial não é nem um pouco legítima. Se fosse um procedimento juridicamente legal, então ele teria que ter sido intimado a comparecer no Forum, para uma audiência com o juiz, ocasiçao em que ele poderia estar acompanhado de um advogado, para a sua defesa. Essa foi mais uma entre tantas presepadas do Poder público! Ainda em tempo, tomei a liberdade de ler um dos seus blogs, e se voce realmente acredita ser esquisofrenico, então evite tomar Rivotril, pois este medicamente nao é recomentado para esquizofrenicos! Um bom dia!

Maria Inês disse...

Gostei do texto.

Anônimo disse...

Relacione em seu blog a fundação da psiquiatria com o higienismo e limpeza de genes.

A limpeza continua, a partir de q tomei todo tipo de drogas psicotrópicas pelo método de erros e acertos, chegaram ah uma droga chamada olamzapina ao qual nem a bula correspondia o transtorno mental q supostamente passava. De 49,5 kg passei a pesar 110 kgs, meus pés começaram a empretejar. Minha auto-estima um lixo devido a estigmatização que me levava a aparência de um zumbi sendo meus olhos de peixes mortos, morimbundo já aceitava esta condição. Sempre quis ter uma namorada, nunca pude ter por causa da estigmatização e idéias pouco desenvolvidas para conseguir garotas, já q a terapia q me proporcionaval só se tratava do suposto diagnóstico toc. O psicólogo dizia q só o toc ajudaria. Tomei a decisão de suspender o medicamento, inteligentemente como havia aprendido com um médico q abandonou a carreira na psiquiatria, neste tempo o estágio da trombose tomava minha perna e meus pés pretos quase como carvão. Foi a decisão certa, em meses meu corpo e rosto desincharam e sai com 2 garotas no mesmo mês. Minha conversa melhorou, as idéias vão se ajustando com o uso de técnicas uteis q aprendi na terapia sobre ansiedade. Enquanto mulheres de extrema exuberância entram em ambulatórios do sus puxando seus carrinhos de amostra grátis. Oferecendo de cruzeiros maritimos a custuosos restaurantes de luxo. A lógica do capitalismo.

Anônimo disse...

eles querem é matar (acreditam que eliminando supostos doentes acabariam com genes defeituosos), não importa se é preto branco ou amarelo ELES QUEREM É MATAR antipsicóticos são venenos muito piores que heroína e crack causam AVC morte súbita e paralisia cerebral FORA INÚMERAS OUTRAS DOENÇAS GRAVES.
há uns 10 anos atrás conheci 10 pessoas sadias que a família encasquetou de colocar em psiquiatra 10 jovens que tinham um lindo futuro e hoje já estão MORTOS! inicialmente foram diagnosticados com delírio cronico e depois esquizofrenia, morreram a maioria tomando zyprexa.
morte súbita, (o detalhe era que curiosamente eles tinham problemas familiares)
Deus faça justiça.

Anônimo disse...

É verdade que existem alguns cientologistas famosos, assim como exitem ateus famosos, muçulmanos famosos, agnósticos famosos, católicos famosos, evangélicos famosos, budistas famosos, etc. O problema com algumas dessas coisas que falam sobre a cientologia é que são apenas relatos anedóticos. Muitos sites que criticam a cientologia são de autoria desconhecida, ou de psiquiatras, ou de religiosos que se sentem ameaçados pelo possível crescimento da cientologia, ou de ateus que odeiam qualquer religião. Outro problema é que os cientologistas criticam muito o governo americano. Apesar de tudo isso acredito que muitas coisas que falam sobre essa religião sejam verdadeiras. Os crimes cometidos pelo sistema de saúde mental, pelos psiquiatras e pelas empresas farmacêuticas já foram noticiados pela BBC, pela Fox News, CBS, The Guardian, New York Times, até mesmo pela Al Jazira. Algo que me incomoda um pouco nos documentários da CCHR é a trilha sonora que acho meio brega rsrsrs. O post do Felipe é um dos únicos que vi que trata esses assuntos de maneira imparcial. Parabéns pelo blog excelente, abraços. ASS: Sandro Teofilo PS sou ateu.

DARK PERSONALITY disse...

ESSA HUMANIDADE MERECE SER EXTERMINADA ISSO SIM. TODA SOCIEDADE HUMANA SEMPRE FOI BASEADA NA HIPOCRISIA A NA PERSEGUIÇÃO A QUEM É DIFERENTE DO PADRÃO. NÃO EXISTE ESQUIZOFRENIA, EXISTE É COMPORTAMENTOS EXCENTRICOS A QUAL A SOCIEDADE NÃO TOLERA. EU PERGUNTO A VOCES PSICOLOGOS OTARIOS, JA ESTUDARAM JUNG POR ACASO? O PRÓPRIO JUNG DIZIA QUE A ESQUIZOFRENIA NÃO É DEMENCIA.

http://darksecretpersonalityintroverted.blogspot.com.br/2015/01/o-mito-da-doenca-mental-e-farsa-da.html