quinta-feira, 18 de junho de 2015

Sobre a gestão da vida virtual

Uma habilidade fundamental em nossos tempos é a gestão da nossa cada vez mais atribulada vida virtual, tendo sempre em vista que a separação entre esta e tal "vida real" não é nada nítida ou exata. Publicar uma comentário absurdo, equivocado e/ou preconceituoso e, depois de receber críticas, dizer que foi "só um comentário de Facebook" só demonstra que a pessoa não entende que a separação real/virtual não é mais tão clara como há alguns anos. O que dizemos nas redes virtuais é real e tem consequências reais. Por isso, temos que pensar bastante antes de sairmos por aí dizendo tudo o que se passa por nossa cabeça - especialmente coisas desnecessárias ou que possam prejudicar e ofender outras pessoas. É claro que, teoricamente, qualquer comentário pode ofender outra pessoa, mas isto não significa que devamos ofender intencionalmente pessoas e grupos, especialmente aqueles que já são cotidianamente ofendidos. Obviamente, o ideal seria que nós seres humanos não tivéssemos pensamentos absurdos, equivocados e preconceituosos e nem precisássemos nos controlar para não expressá-los, mas aí eu estaria sendo ingênuo. Nós, seres humanos, não somos só bondade, nem só maldade. Somos anjos e demônios. Mas a vida em sociedade implica, como bem alertou Freud em seu Mal-estar na civilização, que tentemos manter nossos demônios, ou pelo menos uma parte deles, guardados. Se expressássemos tudo o que pensamos e achamos sempre - e, especialmente se fizéssemos tudo o que temos vontade -, a vida em sociedade seria impossível. A mentira, ou no mínimo a omissão, é necessária para as relações sociais - como bem demonstra o filme A invenção da mentira. Portanto, devemos tomar todo o cuidado possível em nossas expressões públicas, reais ou virtuais. Alguns chamam isso de "patrulha do politicamente correto". Eu prefiro chamar de "viver em sociedade".
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Beatriz Maia disse...

onde posso assistir o filme a omissão da mentira?