sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

O DSM-V vem aí...

Está em processo de elaboração, por "renomados cientistas", a quinta versão do DSM, ou seja, do Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais. Para quem não conhece, trata-se do catálogo oficial (ou podemos chamar de Menu?) das "doenças mentais", utilizado por psiquiatras e psicólogos do mundo inteiro. O DSM-IV-TR (lançado em 2000, versão revisada, text revision, do DSM-IV, de 1994), em breve deverá ser substituído pelo novo. Inicialmente o DSM-V ia ser publicado em 2011, depois passou para 2012 e agora foi adiado, finalmente, por razões "técnicas", para 2013. Maio de 2013 (ver informe da Associação Psiquiatrica Americana aqui). E, preparem-se, pois ele vêm recheado de dezenas de novas doenças!!! Certamente você e seus pacientes vão se enquadrar em alguma. Ou, se tiverem sorte, em várias!!! E vão procurar um psiquiatra que vai lhe medicar e alimentar ainda mais a já gigantesca indústria farmacêutica, sem dúvida a grande beneficiária de todo este processo (e não por acaso, muito dos psiquiatras que fazem parte da comissão de elaboração do novo DSM tem estreitas ligações com a Big Pharma - ver denúncia aqui). Quanto mais doenças descritas no manual oficial, mais remédios serão desenvolvidos (ou ligeiramente modificados a partir dos atuais - saiba mais aqui) e, consequentemente, maior o lucro destas empresas - e dos psiquiatras que prescrevem os remédios. É uma lógica cruel e atrelada à patologização do cotidiano. Juntando as "doenças" do DSM-V com as do CID-10 (cuja nova revisão, o CID-11, deverá ficar pronta em 2014, de acordo com a mesma declaração da APA) praticamente elimina-se qualquer possibilidade de que alguém seja considerado saudável. Todo mundo tem que ter alguma doença (e tomar remédios, óbvio!). E se, por uma gigantesca sorte, você não se encaixar em nenhuma doença "normal", tascam-lhe um Transtorno de Personalidade pra você não ficar sem um diagnóstico. Afinal, ninguém gosta de sair do médico sem uma receita na mão...





Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Carlos disse...

Muito bom texto. E a gente tem que se adequar a essa "lógica"...

guilha p. disse...

genial cara. o que me conforta é saber que ainda tem profissioais por aí (como você mesmo) que tem ética e moral apuradas o suficiente para ficar acima desse capialismo brutal.