quarta-feira, 2 de maio de 2018

10 livros para entender o funcionamento da memória

Já  tratei do tema da memória inúmeras vezes neste blog, assim como de outros temas relacionados às áreas da psicologia cognitiva e neurociências. Gostaria agora de indicar uma série de livros, todos publicados no Brasil (alguns esgotados na editora, infelizmente, mas disponíveis em sebos virtuais), que qualquer pessoa que se interesse em compreender o funcionamento da memória humana pode buscar para ampliar seu conhecimento sobre o assunto. Certamente, todos os anos são lançados inúmeros livros sobre o tema, em especial manuais de auto-ajuda que prometem "potencializar sua memória", no entanto, a grande maioria desses livros é simplesmente lixo ou "mais do mesmo" e raramente trazem discussões aprofundadas e consistentes sobre a psicologia e a neurobiologia da memória. Já os livros abaixo certamente trazem importantes contribuições para o entendimento deste complexo e multifacetado tema.

1-  Memória (Coleção L&PM Pocket Encyclopaedia) - L&PM, 2011.

Este pequeno livro lançado pela editora L&PM em 2011 é uma ótima introdução ao tema, talvez a melhor disponível no Brasil. Escrito pelo pesquisador Jonathan K. Foster, que é também professor de neuropsicologia clínica e neurociência comportamental na Universidade de Curtin, na Austrália, esta tradução do livro Memory: a very short introduction passa pelas principais questões relacionadas ao tema, como os diferentes tipos de memória, suas bases neurobiológicas, as imprecisões e os distúrbios mnemônicos, etc. Trata-se de uma pequena mas consistente obra, extremamente indicada para aqueles que pretendem iniciar neste tema.

2- Psicologia cognitiva - Artmed, 2016.

Escrito pelo psicólogo Robert Sternberg em parceria com sua esposa, a também psicóloga Karin Sternberg, este manual básico sobre a área da psicologia cognitiva é um ótimo material para quem pretende entender de uma forma um pouco mais aprofundada o funcionamento da memória humana, tema que livro dedica dois capítulos. Importante destacar que estes capítulos se focam na psicologia da memória e não tanto na neurobiologia da memória. Portanto, caso seu interesse seja entender as bases cerebrais da memória existem outros livros mais adequados, como "Em busca da memória" e "Presente permanente", que apresentarei brevemente abaixo.

3- Em busca da memória - Companhia das Letras, 2009.

Este livro clássico, infelizmente esgotado no Brasil e disponível apenas por valores altíssimos em sebos virtuais, foi escrito pelo neurocientista, vencedor do Prêmio Nobel de Medicina, Eric Kandel. Trata-se de uma obra fundamental para todo e qualquer estudioso da memória. Em um calhamaço de mais de 500 páginas, Kandel nos conta sua trajetória pessoal e acadêmica ao mesmo tempo em que descreve as pesquisas sobre o funcionamento cerebral realizadas ao longo dos séculos XIX e XX. Em especial ele narra em detalhes a evolução de sua pesquisa com o molusco Aplysia californica, que revolucionou os estudos cerebrais sobre a memória.

OBS: há um interessante documentário baseado neste livro, disponível legendado aqui.

4- A arte e ciência de memorizar tudo - Nova Fronteira, 2011.

Neste maravilhoso livro lançado em 2011 no Brasil - e infelizmente esgotado - o jornalista Joshua Foer traz um ensaio autobiográfico delicioso sobre o funcionamento da memória. Seu bizarro título original, Moonwalking with Einstein [Dançando Moonwalk com Einstein], acabou por ser ignorado pelos editores brasileiros, que optaram por transformar o subtítulo em título. Na resenha do livro que publiquei no ano de seu lançamento eu apontei: "o mais interessante do livro é que o relato de sua jornada é entrecortado por explicações sobre o funcionamento da memória, entrevistas com pessoas com memórias excepcionais e com amnésias severas, discussões históricas sobre o tema, além de algumas técnicas para melhorar a memória".

OBS: assista aqui uma interessante palestra, legendada, do autor deste livro.

5- Os sete pecados da memória - Rocco, 2003.

Escrito por Daniel Schacter, professor e pesquisador na Universidade de Harvard - e uma das maiores autoridades do mundo no estudo da memória - este livro trata das falhas "normais" da nossa memória, isto é, daquelas falhas não-patológicas que acometem todas as pessoas. Schacter aponta para sete falhas ou transgressões, que ele denomina ironicamente de "pecados": a transitoriedade, a distração, o bloqueio, a atribuição errada, a sugestionabilidade, a distorção e a persistência - neste post é possível encontrar uma breve definição de cada um destes pecados. Enfim, neste livro excepcional, o pesquisador analisa em detalhes as principais falhas de nossa memória apontando ainda para a importância fundamental do esquecimento.

6/7- O gorila invisível - Rocco, 2011/ O Rio da consciência - Companhia das Letras, 2018.


No sensacional livro O gorila invisível, lançado em 2011 no Brasil, os psicólogos Christopher Chabris e Daniel Simons analisam diversos "equívocos da intuição", dentre eles, no segundo capítulo, a chamada "ilusão da memória" - que não coincidentemente, é o título de um post que publiquei em 2017. De uma forma resumida é possível dizer que o segundo capítulo deste livro, denominado "O técnico que esganou", trata da questão das falsas memórias, mesmo tema, aliás, de um ótimo ensaio de Oliver Sacks, "A falibilidade da memória", publicado postumamente no livro O Rio da consciência. Estes dois ensaios tratam com brilhantismo da natureza construtiva das nossas memórias.

8- Presente permanente - Record, 2018.

Lançado no início de 2018 no Brasil, este livro - talvez o grande lançamento do campo das neurociências este ano no país - foi escrito pela renomada neurocientista Suzanne Corkin, falecida em 2016. Nesta obra de peso, Corkin faz uma narrativa completa e profunda dos mais de 50 anos de pesquisa com o paciente H.M. - que após sua morte, em 2008, descobrimos se chamar Henry Molaison. Se você já leu algum livro sobre o funcionamento da memória é muito provável que ele tenha mencionado H.M., um sujeito epilético que aos 27 anos de idade foi submetido a uma neurocirurgia que lhe retirou o hipocampo, dentre outras partes de seu cérebro, e que, desde então, nunca mais conseguiu formar novas memórias - vivendo, desde 1953, em um "presente permanente". Em seu maravilhoso livro, Corkin relata a fundamental importância das pesquisas com Henry para o avanço da compreensão científica sobre o funcionamento das nossas memórias. Afirma Corkin sobre Henry: "sua tragédia tornou-se um presente para a humanidade. Ironicamente, ele nunca será esquecido".

9/10- A mente e a memória/ O homem que confundiu sua mulher com um chapéu

Cada um destes dois livros traz um relato de caso de certa forma oposto ao outro. No primeiro, um clássico do neuropsicólogo russo Alexander Luria, publicado em 1968 com o título original de The mind of a mnemonist [A mente de um mnemonista], encontramos um relato incrivelmente detalhado de um sujeito, chamado por Luria simplesmente de S., que possuia uma memória infalível e ilimitada. Importante destacar que Luria possui um outro livro de relato, denominado O homem com o mundo estilhaçado, que apresenta um sujeito que, na contramão de S. teve um severo comprometimento cognitivo, inclusive mnemônico, em função de uma lesão de guerra. Já o segundo livro, um clássico do neurologista Oliver Sacks publicado originalmente em 1985, somos apresentados, no segundo capítulo, ao caso do "Marinheiro perdido", um sujeito que devido à Síndrome de Korsakov desenvolveu uma severa amnésia que, tal qual H.M., o impediu de formar novas memórias. Todos estes casos ilustram com brilhantismo o funcionamento normal e anormal da memória.

OBS: O ensaio "O marinheiro perdido" inspirou um belo curta-metragem de animação. Veja aqui.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário: